À partir de agora, todas as notícias relacionadas ao Chris Evans, sejam elas fotos ou entrevistas, por exemplo, serão postadas em nossas redes sociais. O site será para fins de divulgação de fotos e das redes sociais do CEBR. Acompanhe a seguir!
postado por Flávia Coelho e categorizado como Entrevistas
24.12.2015

*Essa entrevista está disponível no site da Entertainment Weekly, que nos foi enviada pela equipe de assessoria deles para divulgação, você pode ver o original aqui.

A equipe chamou sua cena de “Splash Page”. Esse é o termo das histórias em quadrinhos para uma ilustração de página inteira que ou abre a história ou marca seu clímax.

Para Capitão América: Guerra Civil, esse foi o momento em que eles filmaram um momento épico entre dois times de heróis: as forças do super soldado vermelho, branco e azul de Chris Evans dum lado batendo contra os guerreiros aliados ao Homem de Ferro de Robert Downey Jr. do outro.

Os quadrinhos da Marvel da série 2006-7 que inspiraram o filme, que estreia dia 6 de maio, exploram as mesmas questões sobre liberdade versus segurança. Nos quadrinhos de Mark Millar, herói se volta contra herói como uma forma de resistência ao controle do governo de suas identidades e habilidades enquanto os outros acreditam na conformidade e regulação para alcançar um bem maior. Capitão América se mantém pela independência do controle governamental, enquanto o Homem de Ferro trabalha para legislar e reforçar a responsabilidade sobre aqueles com ‘habilidades especiais’.

“Na maioria dos filmes, não há dúvida sobre de que lado ficar”, Evans disse durante os intervalos. “Nós todos concordamos que os nazistas são ruins, alienígenas são ruins. Mas nesse filme é a primeira vez onde nós temos dois pontos de vista. Não há resposta certa ou errada e é apenas uma questão de quem somos como homens: Tony Stark e eu mesmo. De que lado ficar? Então é difícil para o Capitão. Se torna uma questão de moral e eu não sei se ele alguma vez esteve tão incerto quando ao que é certo e errado.”

Nesse filme, os novos Vingadores – a assembleia vista ao final de Era de Ultron – ganham um velho inimigo: Crossbones de Frank Grillo, visto pela última vez quando um edifício caiu sobre ele no filme de 2013 Capitão América: O Soldado Invernal. Mas essa tomada dá errado. Um monte de pessoas morre. Um monte de pessoas inocentes.

Depois de todo o caos e catástrofes vistas no último filme, o mundo finalmente teve o bastante. Oficiais do governo ao redor do mundo se reúnem para gerar um acordo que poderia reprimir aquelas com habilidades super-humanas. Um homem que ajuda a elaborar a nova lei é um jovem líder chamado T’Challa (Chadwick Boseman) da nação fictícia de Wakanda, que tem uma identidade secreta – o aguardado Pantera Negra.

Mas o Capitão já viu muitas autoridades corruptas na sua (não natural) longa vida. Ele não está mais obedecendo regras.

Nessa manhã quente de julho em Fayetteville, Georgia, Evans está suando através do seu uniforme enquanto ele filma a Splash Page – o ápice do conflito.

Ele está em pé numa extensão do asfalto com duas lonas verdes que permitirão a equipe dos efeitos especiais transformar esse estacionamento nos Estúdios Pinewood em uma pista do Aeroporto Internacional de Leipzig/ Halle.
O Soldado Invernal de Sebastian Stan, o grande amigo perdido de Steve Rogers e principal vilão no último filme do Capitão, está se mantendo à sua esquerda.

“Se o Bucky não tivesse sofrido uma lavagem cerebral, ele estaria fazendo a mesma coisa do Capitão, aceitando ordens da S.H.I.E.L.D. e lutando pelo país e percebendo que a S.H.I.E.L.D. é corrupta”, disse Evans. “Mas Bucky está numa situação diferente. Ele obviamente não poderia fazer essas escolhas. Isso é – não quero dar muitas dicas sobre o que pode acontecer, mas Bucky é uma grande peça nesse quebra-cabeça e porque dá algo ao Steve, algo além de Peggy, mas Peggy está bem com a vida dela.”

Essa seria Peggy Carter, conhecida como Agente Carter para os fãs da série televisiva da ABC, que retrata a vida da personagem de Hayley Atwell como uma agente secreta nos Estados Unidos pós-Segunda Guerra Mundial. Em Soldado Invernal, Rogers visita sua antiga paixão, que está num ponto frágil, uma mulher já idosa lidando com a demência ao fim de uma longa e querida vida. Longe de Peggy, Rogers tem apenas mais uma conexão com seu antigo eu.

“Ninguém nesse planeta o conhecia de antes. Não sobrou ninguém”, Evans disse. “Ele não tem nenhum pouco de paz na sua juventude. Ele não tem nenhuma paz da sua vida, então Bucky e tudo que acontece com ele nesse filme…” Evans para. “Isso é uma grande coisa pra ele em termos dele encontrar seu propósito, pelo que lutar e como a amizade pode trazê-lo de volta à vida. Não apenas como soldados, mas como amigos.”

Há outros herois familiares junto com o Capitão e Bucky (grande alerta de spoiler): Falcão de Anthony Mackie, Homem-Formiga de Paul Rudd (apesar de que hoje é um dublê com a máscara), Feiticeira Escarlate de Elizabeth Olsen e o Gavião Arqueiro de Jeremy Renner.

Liderando o lado oposto está… ninguém. Homem de Ferro e Máquina de Geurra de Don Cheadle estarão voando em direção a eles, então serão adicionados digitalmente depois. Mas um time tão impressionável está ao seu lado, preparando para enfrentar o Capitão e companhia: Viúva Negra de Scarlett Johansson e Pantera Negra (também um dublê) entre eles.
Os diretores Joe e Anthony Russo gritam ação – e isso é o que não foi divulgado. Os bons garotos cobram entre si numa batalha selvagem.

“A história é sobre família. E sobre o que acontece quando nem todos concordam”, disse Joe Russo, que dirigiu o filme anterior do Capitão, Soldado Invernal, com seu irmão. “Nós temos comparado a briga a um casamento. O que acontece quando seu primo e seu irmão vão ao casamento, e de que lado você fica, e onde partir dali?”

“Como você segue em frente a partir do momento em que as pessoas que se amavam e estavam do mesmo lado, agora se odeiam e estão tentando machucar um ao outro?”, Anthony Russo adiciona. “O Capitão é muito forte, pé no chão, centrado moralmente, um personagem ético. Você pode bater nele muito forte como um heroi, tentar derrubar aquela força – tanto moralmente quanto fisicamente.”

O Homem de Ferro definitivamente tenta fazer isso.

Enquanto a Viúva Negra dá uma surra no Homem-Formiga, no Gavião Arqueiro e na Feiticeira Escarlate pelo céu – ele com seu confiável arco e flecha, ela com sua energia vermelha mística. Eles estão tentando derrubar algumas ameaças invisíveis que caem do céu. (É dificil contar que efeitos visuais eles estão imaginando). Definitivamente não é o Homem de Ferro. Ele voa baixo e tem outro alvo: Capitão América. Evans levanta seu escudo, faz um corte pelo ar, e é atingido por algo invisível que quase o derruba na vida real. O câmera principal está num suporte, e é movido para cima e baixo na cena da luta – seguindo os movimentos do Homem de Ferro – até que ele está de frente a Evans. O ator tem de desviar no último segundo para evitar ser atingido. Depois de mais algumas tomadas, Evans aparece para verificar as cenas, rindo do fato que todas terminam com um close-up na sua cara de pânico para a câmera. “Eu não consigo continuar dando socos quando está tão perto”, ele diz. Os Russos surgem com uma solução: Ir em frente e voltar. A filmagem termina com o Homem de Ferro derrubando o Capitão América no chão. Mas ele não vai ficar ali.

Tradução: Tássia Cintra.
Créditos: Chris Evans Brasil.

relacionado
08.10.2020
relacionado
01.05.2018
relacionado
13.04.2018
relacionado
22.03.2018
comente a postagem!