À partir de agora, todas as notícias relacionadas ao Chris Evans, sejam elas fotos ou entrevistas, por exemplo, serão postadas em nossas redes sociais. O site será para fins de divulgação de fotos e das redes sociais do CEBR. Acompanhe a seguir!

'Entrevistas' archive



postado por Sara Teles e categorizado como Campanhas, Entrevistas
09.03.2021

O ator de Hollywood Chris Evans, que é o mais novo embaixador da Smart Communications, disse que mal pode esperar para visitar as Filipinas quando a oportunidade permitir.

A estrela de Capitão América fez o anúncio em uma conferência virtual com a mídia filipina ao falar sobre sua parceria com a empresa de telecomunicações local.

“Eu ouvi grandes coisas [sobre as Filipinas]. Ótimas praias! Eu ouvi isso hoje, na verdade. Eu ouvi boa comida. Pessoas maravilhosas”, disse ele.

“Quero dizer, sempre que estou em qualquer tipo de território asiático, é sempre difícil sair porque é incrivelmente acolhedor e esteticamente bonito, por isso estou ansioso para visitar.”

Dirigindo-se diretamente aos fãs filipinos, Evans disse:

“Mal posso esperar para poder sair. Mal posso esperar para visitar. Não ouvi nada além de coisas incríveis e esta parceria só me deixa mais animado para ir e dizer oi.”

Alfredo Panlilio, presidente e CEO da Smart Communications, também disse que adoraria fazer uma turnê de Evans pelas Filipinas quando ele visitar o país.

“Na verdade, quando conversamos com ele, eu disse que ele tinha um convite aberto para vir às Filipinas, visitar as ilhas e até trazê-lo para Amanpulo se ele quiser. Esperançosamente, quando as restrições de viagem forem suspensas e for seguro para ele viajar, ele adoraria vir ao país e nos visitar aqui”, disse Panlilio.

Questionado sobre o que o fez concordar em se juntar à família Smart, Evans disse:

“Bem, sempre gostei da ideia de trabalhar com uma empresa nas Filipinas. É uma grande parte do mundo e a Smart parecia uma empresa com visão de futuro, então parecia uma boa opção.”

Evans é atualmente o rosto da campanha de 2021 ‘Viva mais inteligente para um mundo melhor’ da empresa, que pretende inspirar as pessoas a se comprometerem com ações sustentáveis ​​com impacto duradouro e positivo para a sociedade.

Quando questionado sobre o que ele faria para inspirar as pessoas a viverem de maneira mais inteligente, Evans disse:

“Eu diria que parece uma banalidade, mas eu diria para ler mais”.

“Acho que é fácil para nós pensar que todos os problemas que estamos enfrentando como país e como mundo são realmente únicos neste momento, quando a verdade é que quando você lê a história, percebe que muitas dessas coisas tendem a se repetir. E você pode obter muitas informações para abordar não apenas o que está acontecendo, mas também abre sua compreensão e compaixão.”

Para seu primeiro Smart TVC, Evans aparece em um anúncio dirigido por Pascal Heiduk, que trabalhou com nomes como Hugh Jackman e Lewis Hamilton e fez filmes comerciais para marcas renomadas como BMW, Montblanc e Mercedes Benz AMG.

O filme comercial de dois minutos termina com Evans dizendo “Simple, Smart Ako!”

Ao longo dos anos, a Smart ficou conhecida por apoiar e promover várias causas, incluindo a obtenção de uma base sólida em inovação, sustentabilidade e construção nacional.

 

Tradução: Amanda Gaia

Créditos: CEBR

Fonte: ABSCBN 

postado por Sara Teles e categorizado como Entrevistas
14.12.2020

Chris Evans está ficando melhor com a idade e ainda melhor com o sucesso – mais gracioso, mais engajado, mais disposto a usar a voz. E apenas mais legal. Ele nem mesmo nos disse para cuidar da nossa própria vida quando investigamos tudo, desde as músicas que o trazem de volta ao que ele diria a seu eu de 13 anos. A estrela de Knives Out, nativo de Sudbury, amante de cães, futura voz do Buzz Lightyear e co-fundador do site de engajamento cívico A Starting Point, tirou um tempo das filmagens para responder corajosamente a 10 de nossas perguntas mais variadas.

Livro favorito quando estava crescendo?

Siddhartha de Herman Hesse. E ainda é meu livro favorito hoje. Eu li pela primeira vez no colégio e até aquele momento, nunca tinha lido um livro de uma só vez. Eu simplesmente não conseguia parar. Nenhum outro livro teve tanto impacto

Música que te traz de volta?

Qualquer coisa do Alice in Chains. Eu estava no colégio durante o auge da era grunge e tínhamos músicos realmente incríveis. Kurt Cobain, Chris Cornell, Eddie Veder, Laye Staley, Jerry Cantrell. Esse tipo de música foi uma grande parte da minha infância. E, obviamente, rock clássico. Led Zeppelin sempre estará no topo da minha lista.

Boné de beisebol que você mais usa?

Tendo crescido na Costa Leste, seu chapéu se tornou parte de sua identidade. Eu geralmente fico muito apegado a um chapéu e o uso até que se desintegre. No momento, estou usando um boné da NASA na maior parte do tempo. Mas posso estar pronto para mudar.

Que tipo de besteira você gosta de comer?

Eu sou um grande fã de doces. Skittles, Jelly Beans, gummy bears. Eu consigo devorar um grande saco de doce sem sentir. Quanto a fast food, seria uma variação entre Taco Bell e Burger King. Entretanto, as batas fritas do McDonalds são as melhores. As casquinhas de sorvete deles também.

Cerveja preferida para o dia do jogo?

Qualquer IPA (India pale ale). Ballast Point é ótima. Eles têm uma IPA de toranja que é fantástica. Refrescante com um teor alcoólico surpreendentemente elevado. Conclui o trabalho.

Filme que você já viu mais vezes e por quê?

Talvez Tombstone. Sempre que está na TV, o que é MUITO, tenho que assistir. Cada cena é tão boa, e Val Kilmer é fenomenal pra caralho. Se eu tivesse que escrever todo o roteiro de memória, acho que poderia conseguir pelo menos 80% lá.

Melhor jogo que você já assistiu?

Tive a sorte de estar no Super Bowl 2017, onde os Patriots venceram os Falcons. Estávamos perdendo por 28-3, faltando apenas 2 minutos para o fim do terceiro período. É o maior retorno na história do esporte, e aconteceu durante o Super Bowl. Eu perdi a porra da minha cabeça.

Quantas horas de sono você precisa para funcionar?

Normalmente tento dormir pelo menos 6 horas, mas provavelmente posso funcionar em 5. Também dou um cochilo incrível. Trabalhando em sets de filmagem por tantos anos, você se acostuma a ter pequenas janelas de tempo para roubar sonecas de gato. Se você me der 5 minutos, provavelmente conseguirei 4 minutos de um bom sono com isso.

Conselho que você daria ao seu filho ainda não nascido?

Diga sim às coisas. Arrisque-se. Não tenha medo de ser vulnerável. Seja gentil, mesmo que não seja merecido. Não se leve muito a sério. Foda-se as redes sociais.

O que você diria ao seu eu de 13 anos?

MANTENHA UM DIÁRIO! Coloque o ruído do seu cérebro nisso e, quando terminar de escrever, tente dar um descanso ao ruído do cérebro.

Estilista favorito? (Isso é uma piada, não responda)

A ÚNICA ILARIA URBINATI!!!!!

**

Tradução: Chris Evans Brasil

Fonte: Leoedit.com

 

postado por Sara Teles e categorizado como Entrevistas
08.10.2020

O ator e co-fundador do A Starting Point discute partidarismo, ativismo jovem e a importância da empatia.

“Eu sabia que precisava começar a trabalhar em [minha plataforma de engajamento político] A Starting Point depois que Trump foi eleito. Discordo de muitas das políticas de Trump e, pessoalmente, tenho uma posição muito forte sobre isso, que vocalizo nas minhas redes sociais. Mas minha maior preocupação é que sua metodologia foi projetada para dividir. Ele nunca fez um esforço para nos unir. [A Starting Point] é projetado para informar as pessoas para que possam tomar um lado.

“[Como ator], a falta de expectativa de mim [no mundo político] na verdade foi uma vantagem para mim. Quando ninguém espera muito de você, isso alivia a pressão! É mais uma batalha árdua em termos de fazer a bola rolar, porque as pessoas ficam um pouco surpresas – “Quem quer nos entrevistar?” Mas agora que estabelecemos o que estamos tentando fazer, tudo correu bem.

“Acho que estamos à beira de uma geração de jovens realmente ativos e motivados, que estão muito despertos e conectados. É um chavão, mas eles realmente são o futuro. São sempre os alunos, não é? Que fossem os direitos civis nos anos 60 ou hoje, são sempre os jovens [trabalhando pela mudança]. Com cada geração mais jovem, eles se importam cada vez menos com as normas sociais arcaicas que as pessoas antes deles estão tentando preservar. Agora, mais do que nunca, os jovens estão envolvidos na formação do cenário político e social. É realmente como uma máquina de fazer potes e essas vozes jovens estão moldando nosso futuro.

“Independentemente das inclinações de Hollywood [para a esquerda], há compradores de ingressos em todo o espectro. Posso não ser rejeitado em Hollywood por ter emoções que aumentam, mas as pessoas podem não aparecer para ver meus filmes. Você tem que entender que pode estar alienando uma parte de seu público. Há um momento e um lugar para a raiva, e acho que é o último recurso. Você pode simplesmente lançar uma rede mais ampla, dizendo: ‘O que você acha? Envolva-se e forme suas próprias opiniões. ‘Estou tentando encontrar maneiras mais eficazes de se unir. Eu o modelo segundo a maneira como você opera dentro de um relacionamento. Se você quer que um relacionamento funcione, você precisa ouvir e entender o que a outra pessoa está pensando e sentindo, mesmo se você discordar – e trabalhar para encontrar pontos em comum. Por melhor que seja gritar sua opinião, você obtém mais resultados com uma abordagem mais empática.

Fonte: V Magazine

Tradução e Adaptação: Amanda Gaia / Chris Evans Brasil 

postado por Sara Teles e categorizado como A Starting Point, Entrevistas
06.08.2020

Numa época em que Chris Evans podia usar sua fama e plataforma – incluindo quase 14 milhões de seguidores no Twitter – para fazer quase qualquer coisa ou fazer quase qualquer filme, ele decidiu se aventurar no mundo da política com o site bipartidário “A Starting Point”.

O ator, mais conhecido por seu papel como Capitão América dos Vingadores, diz que a idéia surgiu de sua própria frustração por não conseguir encontrar informações on-line confiáveis e baseadas em fatos sobre tópicos e políticas políticas básicas.

“Não é que eu seja especificamente atraído pela política. É só quando você olha em volta e tenta descobrir como pode ajudar”, disse ele à PEOPLE na última edição.

O site está dividido em três seções: “Starting Points”, que é uma seção do tipo glossário, com respostas de dois minutos a perguntas comuns de nossos funcionários eleitos; “Daily Points”, que mostra os políticos participantes conversando por um minuto sobre qualquer assunto que desejem abordar; e “Contrapontos”, uma seção que apresenta uma discussão entre dois funcionários eleitos que têm pontos de vista diferentes sobre um assunto.

“Há muitas coisas que você pode fazer como ator com o seu nome”, diz Evans, 39. “Eu poderia estar bebendo – eu não desencorajo ninguém de fazer isso, eu amo beber – mas não há como negar que eu interpretei um certo personagem, e isso se alinha com parte da minha natureza em termos de ser alguém politicamente envolvido e que se preocupa com o bem-estar das pessoas neste país”. Ele continua: “Você precisa usar sua plataforma para fazer mais do que apenas retuitar as coisas”.

Evans está acostumado a se pronunciar politicamente, inclusive criticando o presidente Donald Trump. Ele se expressa livremente nas mídias sociais – uma franqueza que foi incutida nele desde cedo.

“Minha família sempre foi muito política. Muito, muito vocal”, diz ele. “É sempre a conversa em torno da mesa de jantar. Não é algo que jamais evitamos.”

O tio de Evans, Michael Capuano, cumpriu 10 mandatos no Congresso e o ator se lembra com carinho de fazer campanha por ele em sua juventude.
“Sempre tive muito orgulho dele”, diz ele.

Embora Evans tenha suas próprias crenças políticas fortes, você não as encontrará em lugar algum de “A Starting Point”.
“Minha opinião não está em nenhum lugar do site”, diz ele. “Eu acho que isso é realmente importante se você quiser se tornar sinônimo de um local de informações imparciais e representar com precisão o que está acontecendo em Washington”.

Evans e seus co-fundadores, Mark Kassen, diretor e produtor, e empresário de tecnologia Joe Kiani fizeram questão de envolver funcionários eleitos de ambos os lados do corredor político.
Eles fizeram quase uma dúzia de viagens a Washington, DC, para se reunir com políticos e agora têm mais de 170 senadores, congressistas, governadores e prefeitos em destaque no site – embora tenha sido trabalhoso levá-los até lá.
“Eu pensei que haveria um pouco mais de vontade, um pouco mais de confiança, mas não havia”, diz Evans. “Foi bom quando a bola começou a rolar. Acabei realmente me inspirando de várias maneiras por muitas coisas que vi. Eles são funcionários públicos. São apenas pessoas tentando ajudar outras pessoas”.

Evans diz que desde que o site foi lançado em julho, a resposta tem sido ótima.
“Se a única coisa que alcançamos é o engajamento político de um eleitor apático, então fizemos nosso trabalho”, diz ele. “O sucesso parece com mais pessoas votando”.
Ele acrescenta: “Temos o poder. Temos os números. Podemos fazer esse mecanismo funcionar para nós, se estivermos todos envolvidos”.

postado por Sara Teles e categorizado como A Starting Point, Entrevistas
01.08.2020

O ex-super-herói Chris Evans está em um novo ritmo durante a pandemia: ele está de olho na política.

O ator (ou Capitão América, ahem), dedicou-se ao lançamento de seu novo site, A Starting Point, que visa criar uma ponte entre o público e autoridades eleitas em diversas áreas, desde a reabertura da economia em meio a Covid-19 até votação por correio. Além de incentivar democratas e republicanos a debaterem (civilmente) entre si, o site convida autoridades eleitas a enviar suas opiniões sobre tópicos importantes – geralmente em um minuto ou menos – em um vídeo chamado Daily Points.

Andrea Mandell, do USA TODAY, conversou com o ator na quinta-feira, quando apareceu no Zoom em sua casa na área de Boston (onde ele está em quarentena com seu cachorro, Dodger) enquanto o presidente Obama elogiava John Lewis. Evans, 39, fala sobre como ele provou aos membros do Congresso que o site era para valer, porque ele nunca teve um Instagram privado e como ele está se preparando para fazer um “mano a mano” com Ryan Gosling em seu próximo grande filme de ação.

USA TODAY: Oi! Espere, vou fazer uma pausa no presidente Obama.

Chris Evans: Eu conheço essa voz, cara.

UT: Vamos por partes, como está seu cachorro fofo Dodger se recuperando da cirurgia?

Evans: Ele está muito bem. Tirei o cone por um tempo só para dar uma pausa e ele aguentando bem. (Ele teve) cirurgia de substituição do quadril. Ele já está trotando, o que estou tentando impedir, mas sim, ele ficará bem.

UT: Você foi ao Capitólio várias vezes para conseguir que os políticos participem do A Starting Point, que os levou a participar de debates sobre grandes questões como direitos de voto, tornando a faculdade acessível e a regulação bancária. Como uma reunião de Hollywood difere de uma reunião em Washington?

Evans: Você certamente sente que eles não precisam de muito de você: eles estão ocupados, você tem sorte que eles reservam um tempo para você. Eles não estão sendo rudes ou desrespeitosos, mas certamente parece que a agenda está cheia. E então você realmente tenta obter o que precisa o mais rápido possível e depois … Ei, Dodge! (Evans chama o cachorro para sair da câmera.) Não, não, não. Ele está lambendo sua ferida. (Tom de aviso) Não faça isso, amigão, o cone vai ter que voltar.

Nas reuniões de Hollywood, eles geralmente fazem você se sentir muito único e especial e tentam realmente te ajudar um pouco. E em Washington, acho que eles são um pouco mais diretos. Mas é legal! Parece mais autêntico.

UT: O site conta com políticos dispostos a participar. Você diria que mais democratas disseram sim do que republicanos até agora?

Evans: Curiosamente, no começo, tínhamos muito mais republicanos. (Desde então) para ser honesto, tem sido meio que dividido no meio.

UT: Quem é o convidado político dos seus sonhos para o A Starting Point?

Evans: Eu adoraria o homem que estava falando (se referindo a Obama), o que estava fazendo a homenagem a (John Lewis). Mas isso é uma tarefa difícil.

UT: Você tem uma conta no Twitter há muito tempo, mas ingressou no Instagram em abril, na época em que originalmente lançaria o site. Você gosta disso? Você já teve um Finsta (instagram privado) antes?

Evans: O que é um Finsta?

UT: Como uma conta falsa do Instagram, um identificador secreto.

Evans: Ah, não, eu não tinha. Eu só estava no Twitter. Sem Finsta. Então eu fiz o Instagram verdadeiramente para este site. Minha equipe apenas disse: ‘Olha, Chris, eu sei que você não é um cara do Instagram, mas é aí que todos estão, há muitos jovens que você seria um tolo por não usá-lo’. Não passo muito tempo nisso, para ser sincero, lendo comentários e coisas assim. Até no Twitter, eu costumava passar o tempo lendo respostas e até isso deixei de fazer. Você nunca fica feliz por ler o comentário. Você nunca fica tipo, ‘Cara, fico feliz por ter passado algum tempo lendo essas coisas horríveis’. Eu acho que acabei de superar o desejo de olhar.

UT: O site parece estar adotando uma abordagem prática para monitorar o que os políticos dizem e sinalizar informações erradas. Como você está planejando lidar com isso daqui para frente?

Evans: Temos verificadores de fatos. Terceirizamos para uma empresa chamada Countable na primeira seção, chamada Pontos de partida. Portanto, se você está procurando informações que são realmente examinadas, nós temos isso. (Para outras seções), será muito difícil permanecer à tona em termos de verificação de fatos. Cabe aos políticos ser honesto, como fariam em qualquer outra plataforma.

UT: Você se sente um pouco mais livre para entrar na política agora que seu tempo com o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) acabou?

Evans: Uh, não. Eu era muito vocal, mesmo quando estava fazendo as coisas do MCU. Eu não era tímido sobre isso. Eu realmente nunca coloquei minha vida profissional contra ao que eu sentia paixão, ainda mais sobre coisas que acho que vale a pena. Se acho que há algo que posso fazer para ajudar ou esclarecer uma questão que merece atenção, farei isso.

UT: Você já voltou ao trabalho? Você esteve em Londres recentemente.

Evans: Não – além do site, que provavelmente foi mais trabalho do que eu já fiz em qualquer set de filmagem. Havia algumas coisas de trabalho por lá, mas não, eu não estou filmando nada. As pessoas ainda estão participando de reuniões. Estamos conversando muito sobre o trabalho, sobre quando o trabalho vai começar.

UT: Falando nisso, acabaram de surgir as notícias de que você está estrelando o thriller de espionagem da Netflix de grande orçamento “The Grey Man”, ao lado de Ryan Gosling, que o reunirá com seus diretores de ‘Vingadores: Ultimato’, os irmãos Russo. Você diria que está em boa forma agora ou mais em quarentena?

Evans: A quarentena prestou bastante para me fazer a entrar em forma. Não há mais nada a fazer. Eu, como a maioria das pessoas, quando na quarentena começou, fiquei tipo ‘Ah, eu devo comprar alguns pesos online’. E, aparentemente, todos os pesos nos Estados Unidos da América foram comprados, e tentar conseguir alguns halteres levaria seis meses. Então, tem sido um monte de exercícios do tipo Rocky, levantando apenas objetos pesados em minha casa.

UT: Eu também tentei pedir pesos e fui enviado um só. De um par.

Evans: Foi exatamente isso que aconteceu comigo! Esperei seis semanas por esses pesos e depois um apareceu. Eu estava tipo, você está brincando comigo? Tão deprimente.

UT: Como você está lidando com algum estresse ou ansiedade durante esse período?

Evans: A quarentena em si não é tão estranha para mim. Eu nunca saio de casa de qualquer maneira. O estresse do COVID em geral, o país e a política estão bastante emaranhados no site para mim. Portanto, quando sinto a ansiedade conectada a essas coisas, tento imediatamente canalizá-la para o site, porque acho que de alguma maneira o site pode criar participação e ajudar a atenuar o sentimento de desamparo.
Esse é o verdadeiro núcleo do estresse, na minha opinião. Sempre houve tempos desafiadores no mundo, e parece avassalador quando parece que não há nada que você possa fazer. O estresse se transforma em apatia, e isso é perigoso; que tem alguns efeitos a jusante reais perniciosos.

UT: Você está usando a cozinha atrás de você para cozinhar em quarentena? Como estão suas habilidades culinárias?

Evans: Ah, terrível. Mas meu irmão ficou aqui por um tempo durante a quarentena, e suas habilidades culinárias são fantásticas. Na verdade, estou tentando convencê-lo a voltar porque preciso de uma refeição caseira.

**

Tradução: Amanda Gaia 

Créditos: CEBR 

Fonte: USA Today